• Pilates Ponto Norte

Pilates no tratamento da hérnia de disco



Em 2018, dados do IBGE apontaram que cerca de 5,4 milhões de pessoas no Brasil têm hérnia de disco e sofrem com seus sintomas.


E já que você veio ao nosso blog, possivelmente porque está interessada(o) em saber sobre Pilates, talvez também esteja se perguntando se pode praticar Pilates tendo hérnia de disco.


Mas antes de esclarecer a sua dúvida, aqui estão algumas considerações para entender melhor o que é um disco intervertebral e qual a sua função.


Discos intervertebrais


Nossa coluna vertebral possui 23 discos, que são estruturas cartilaginosas, elásticas e que variam de tamanho, espessura e formato. Na sua parte externa, mais rígida, os discos possuem um anel fibroso, enquanto a parte interna é formada de uma estrutura “gelatinosa” chamada de núcleo pulposo, que é responsável pela capacidade de amortecimento do disco.


Localizados entre as vértebras (daí o nome intervertebrais), os discos com elas se conectam por meio das placas terminais e proporcionam uma ligação confortável e segura para que a coluna possa exercer suas funções. Simplificando: os discos intervertebrais amortecem os impactos recebidos nas vértebras quando corremos, andamos, pulamos ou carregamos peso.



Em indivíduos jovens, o núcleo pulposo é relativamente maior, formando cerca de 25% do comprimento total da coluna. No entanto, com o passar dos anos e a desidratação dessas estruturas anatômicas, ocorre o processo conhecido como degeneração, o que provoca a diminuição na estatura dos idosos. Essa degeneração reduz a capacidade de absorver os choques que a coluna sofre no dia a dia, acelerando o desgaste natural das vértebras.


A hérnia de disco


A hérnia de disco é uma alteração na coluna vertebral, principalmente lombar e cervical, que tem como sintoma mais comum a dor, localizada na região onde está a hérnia, podendo irradiar para os membros superiores ou inferiores. Se há hérnia de disco na coluna lombar, por exemplo, além da dor na região lombar, pode haver irradiação para uma das pernas; se há hérnia de disco na coluna cervical, a dor é no pescoço e pode irradiar para um dos braços.


Embora os sintomas variem bastante de uma pessoa para outra, a dor secundária a uma hérnia de disco pode causar desde apenas um leve desconforto a casos que podem deixar a pessoa incapacitada. A boa notícia é que as hérnias de disco têm uma tendência natural a regredir com o tempo, além, é claro, de existirem diversas alternativas para tratamento, muitas delas sem a necessidade de cirurgia.


Mesmo que a dor diminua ou melhore espontaneamente, é importante a supervisão médica adequada. O tratamento, por meio do uso de anti-inflamatórios, fisioterapia e, em casos mais sérios, cirurgia, vai aliviar a dor e fazer com que a pessoa volte o mais breve possível às suas atividades habituais.


Importante dizer que nem sempre a cura é definitiva. Por essa razão, após o tratamento e, logo, a recuperação, os médicos recomendam que a pessoa inicie algum programa de prevenção para evitar que a hérnia de disco retorne.


Causas mais comuns


Muitos são os motivos que podem levar ao surgimento das hérnias de disco, sendo os mais comuns: degeneração ou desgaste do disco pelo uso, má postura, esforço intenso e repentino, pegar ou carregar peso de forma imprópria, obesidade.


Outro fator é a falta de exercícios físicos ou sedentarismo, o que também contribui fortemente para a formação das hérnias de disco.


Pilates pode ajudar


É fundamental procurar orientação médica antes de iniciar qualquer programa de exercícios. Isso não é diferente diante de um diagnóstico de hérnia de disco, visto que nem toda e qualquer atividade física será eficaz nesse caso. Exercícios de alto impacto e que causem muitas vibrações serão prejudiciais.


O método Pilates tem sido amplamente recomendado pelos médicos por ser de baixo ou nenhum impacto. As atividades desenvolvidas nos estúdios, por fisioterapeutas experientes, oferecem a dose ideal de assistência profissional, prevenção e conforto.


Fortalecimento e flexibilidade


O protocolo de trabalho do método Pilates tem como foco a ativação, o fortalecimento e a coordenação dos músculos profundos e superficiais do tronco. Em relação à coluna vertebral, tanto em termos de alinhamento como de mobilidade, busca-se gradualmente fortalecer e ao mesmo tempo aumentar a flexibilidade e a coordenação.




Isso ajuda não apenas com os sintomas, pois alcança a raiz do problema e alivia a pressão e a rotação na coluna vertebral. Se o seu trabalho exige que você permaneça sentado por longos períodos de tempo, por exemplo, os músculos ao redor de sua coluna, chamados de núcleo ou core, podem se tornar fracos. Quando esses músculos funcionam corretamente, eles mantêm a coluna numa posição em que o peso e a pressão são distribuídos de maneira uniforme.


O Pilates foi concebido tanto para fortalecer quanto para promover flexibilidade, a fim de se ter um “corpo equilibrado”. No caso da hérnia de disco, o método pode ser utilizado para reforçar o núcleo de modo a estabilizar e proteger a coluna vertebral.


Da mesma forma, recorre-se a exercícios de flexibilidade, promovendo o alongamento dos tendões e músculos do quadril, o que ajuda a diminuir a força adicional sobre a coluna, assim como reduz significativamente a dor nas costas, mesmo em casos de hérnia, criando não só um corpo equilibrado como também livre de dor.

#hérniadedisco #flexibilidade #fortalecimento

37 visualizações
Faça uma visita ao nosso studio

Avenida Dom Helder Câmara 5.644 - Sl. 1017

Cachambi, Rio de Janeiro-RJ

contato@pilatespontonorte.com.br

Tel.: 21 3046-3025

Para que você conheça melhor o nosso trabalho, na aula experimental fazemos um programa específico para cada aluno, numa série introdutória com 40 minutos de duração.

@2017. Todos os direitos reservados.

+55 21 97378-6398

ALONGAMENTO - TRATAMENTO DE DORES CRÔNICAS - FORTALECIMENTO MUSCULAR - MELHORA DA POSTURA E DA OSTEOPOROSE COM AUMENTO DA DENSIDADE ÓSSEA