• Pilates Ponto Norte

Você consegue tocar os seus pés?



Recentes estudos sugerem que a habilidade em alcançar os dedos dos pés com as mãos indica tanto o grau de flexibilidade do corpo como das artérias coronárias.

Em 2009, uma pesquisa da Universidade do Norte do Texas, nos Estados Unidos, concluiu que um corpo menos flexível em pessoas com mais de 40 anos indica maior rigidez das artérias. Os resultados foram reforçados no ano de 2015 por quatro cientistas japoneses que chegaram a uma conclusão parecida.

Mas dentre tantos estudos, um dos mais importantes foi desenvolvido na Universidade CEU Cardenal Herrera, em Valência, na Espanha, o qual revelou que a determinação da rigidez da parede arterial ajuda a prever o surgimento da hipertensão arterial. O estudo sugere que é a rigidez arterial que provoca a hipertensão, e não o contrário. Ou seja, a falta de elasticidade das artérias não é consequência da pressão alta.

Rigidez arterial e hipertensão

O que complementa o estudo da universidade espanhola é um premiado trabalho da Associação inglesa para a Investigação da Fisiologia e Estrutura Arterial – ARTERY, apresentado durante congresso em Maastricht, na Holanda. Este trabalho comprova que a adequada medição do grau de rigidez arterial pode ser o melhor indicador para a pressão alta.

Determinar a condição das grandes artérias, aliás, é fundamental para o diagnóstico precoce, o tratamento e a prevenção de potenciais problemas de saúde, incluindo, além da pressão alta, já citada, ataques cardíacos, insuficiência cardíaca, diabetes e complicações renais.


Ao considerar o fato de que em pacientes hipertensos as artérias são mais rígidas, a principal pergunta era:


É a hipertensão que endurece as artérias ou são as artérias rígidas que fazem a pressão subir?

Para respondê-la, foram recrutados 125 pacientes com pressão normal e que tiveram a rigidez arterial medida no início do estudo e durante um ano inteiro.

O grupo de pacientes que inicialmente apresentava maior rigidez arterial desenvolveu a hipertensão, enquanto aqueles que a princípio tinham uma velocidade de pulso menor conservaram, depois de um ano, valores de pressão normais. O resultado sugere, então, que a rigidez arterial aparece como agente causador da hipertensão.

Pilates pode ajudar

É importante deixar claro que os autores dos estudos citados logo no início desta matéria concordam que é preciso aprofundar ainda mais o tema sobre a relação entre flexibilidade do corpo e flexibilidade das artérias. Por essa razão fazem questão de esclarecer que pessoas que não conseguem tocar os dedos dos pés com as mãos não estão em risco iminente de ter problemas no coração.


No entanto, isso não significa que a rigidez arterial não mereça atenção. A principal causa de morte e doença fatal em homens e mulheres são as doenças e as enfermidades cardiovasculares, que estão diretamente relacionadas à condição das pequenas e das grandes artérias. A rigidez arterial e o aumento das principais artérias são precursores poderosos para potenciais problemas de saúde, incluindo insuficiência cardíaca, complicações renais, esclerose e ataques cardíacos.

Segundo o resultado de uma pesquisa publicada pelo Centro Nacional para a Informação Biotecnológica dos Estados Unidos, as pessoas de meia idade podem conter de forma significativa a rigidez arterial se adotarem uma rotina de exercícios de alongamento.

Uma boa escolha de atividade física é o método Pilates. Durante as aulas, a pessoa é levada a realizar dois tipos de alongamento. Em um deles, chamado de alongamento ativo, o aluno assume uma posição e, em seguida, a mantém por um determinado tempo usando a força de seus músculos. É a chamada isometria. Já o alongamento passivo é aquele realizado com a ajuda do o instrutor ou algum aparelho de Pilates.

Importância do alongamento

Mas por que o alongamento é tão importante?

Ora, sem músculos saudáveis e alongados o corpo está sujeito a lesões agudas e, ao longo de uma vida de negligência, tais lesões transformam-se gradualmente em dor crônica e intensa. No entanto, ao aumentar a flexibilidade, nota-se a diminuição de sintomas de dores crônicas devido a encurtamentos ou falta de resistência muscular.

Ao contrário do que muitos pensam, alongar não se trata simplesmente de esticar o corpo ou inclinar-se para um ou outro lado, ou para frente e para trás. Há cuidados que devem ser tomados e, por isso mesmo, o ideal é que os exercícios sejam feitos sob supervisão. Principalmente porque o alongamento sem reforço muscular adequado pode causar dores nas articulações.

Os exercícios do Pilates vão ajudam a “esticar” os músculos de forma inteligente, permitindo melhorar a flexibilidade sem tensão ou lesão. A pessoa aprende a perceber o que o corpo está sentindo, ou seja, muitas vezes durante as aulas ela vai sentir certa resistência, talvez até um pouco de desconforto, mas não dor.

É, portanto, um treinamento físico que trabalha o corpo como um todo, e não apenas a flexibilidade. Além do mais, a técnica de Pilates corrige a postura e realinha a musculatura, desenvolvendo a estabilidade corporal necessária para uma vida mais saudável.

#flexibilidade #músculos #coração #alongamento

33 visualizações

Nosso Blog

Neste espaço você vai ficar por dentro de novidades sobre o método Pilates, além de informações importantes e tirar dúvidas sobre
a prática de Pilates
Faça uma visita ao nosso studio

Avenida Dom Helder Câmara 5.644 - Sl. 1017

Cachambi, Rio de Janeiro-RJ

contato@pilatespontonorte.com.br

Tel.: 21 3046-3025

Para que você conheça melhor o nosso trabalho, na aula experimental fazemos um programa específico para cada aluno, numa série introdutória com 40 minutos de duração.

@2017. Todos os direitos reservados.

+55 21 97378-6398

ALONGAMENTO - TRATAMENTO DE DORES CRÔNICAS - FORTALECIMENTO MUSCULAR - MELHORA DA POSTURA E DA OSTEOPOROSE COM AUMENTO DA DENSIDADE ÓSSEA